25 de setembro de 2010

Padre Wilson Czaia - Primeiro Sacerdote Surdo do Paraná



Wilson nasceu no dia 10 de fevereiro de 1969, na cidade de Curitiba, no Paraná, Brasil. Filho do Eduardo Czaia e Maria de Lourdes Czaia. Tem um irmão, Carlos Eduardo Czaia (três anos mais velho) casado com Claudete Lucio Czaia e tem dois sobrinhos, Carlos Eduardo e Mariana.

Foi batizado aos 23 de fevereiro de 1969 na Paróquia de São José, no Capão Raso, pelo Pároco de então Padre Angelo.

Até aos quatro anos, ele viveu como toda criança, chorava, brincava e se alimentava normalmente. A partir dessa idade, seus pais começaram a notar que ele era mais agitado do que as outras crianças e também perceberam que quando o chamavam ele não respondia. Preocupados, levaram-no ao médico e suas desconfianças foram confirmadas, ele era surdo.

Seus pais preocupados com seu futuro, pediram auxílio aos profissionais da saúde, que orientaram o encaminhamento para a Escola de Educação Especial Epheta que tinha como Diretora Irmã Letícia.

A escola teve um papel importante em sua família, pois trouxe esperança e a certeza que a partir dali, ele teria um futuro e uma vida melhor. Com o apoio da Escola seus pais não desanimaram e investiram tempo e sacrifício para manter em dia todas as necessidades especiais que sua condição de surdo exigia.
Ele teve o privilégio de conviver com Irmã Nydia, fundadora da Escola Epheta, que foi sua professora e catequista, e que também era surda.


Graças a escola Epheta ele desenvolveu a comunicação oral, aprendeu a emitir sons, a construir frases, a conhecer o sentido das palavras. Todos os primeiros anos de escola foram de intensa estimulação da fala e só posteriormente recebeu orientação profissional. Ainda na escola Epheta construiu sua vida como pessoa e com os ensinamentos recebidos, teve facilidade na socialização e na adequação de sua surdez, na escola normal.
Com condições de entrar no ensino regular, seus pais escolheram a Escola Social Madre Clélia onde cursou até a 8º série. As Irmãs Apóstolas o receberam com muito carinho e o ajudaram a entender o que é educação e disciplina. Então, pode receber dupla formação: pela manhã estudava na Escola Epheta e à tarde no ensino regular, com as Irmãs do Sagrado Coração de Jesus.


No dia 04 de dezembro de 1981 ele fazia sua 1ª comunhão na capela do Instituto Social onde funcionava a Escola Epheta e a casa das Filhas do Coração de Maria.


Completou o 2º grau no colégio Opet, já integrado no ensino regular. Realizou sua Crisma no dia 27 de outubro de 1997, na Paróquia Santa Isabel, pelas mãos de Dom Albano Cavalin. Continuou sempre ligado à Escola Epheta, participando dos grupos de jovens e encontros, que lá eram promovidos. Os seminaristas Palotinos, começaram a organizar encontros com casais surdos, e ele começou a participar das palestras, que o ajudaram muito a conhecer a Igreja. Com isso, um grupo de casais e jovens surdos, começaram a se reunir semanalmente, para aprofundar a fé. A maioria era ex-aluno da Escola Epheta, e por isso tinham algo em comum.


A pedido dos seminaristas Palotinos, Dom Pedro recebeu alguns surdos e os mesmos seminaristas André e Cesar para uma audiência. Lá foi relatado a preocupação de que muitos surdos estavam indo para outras seitas. Dom Pedro se comprometeu a buscar apoio entre os seminaristas e padres diocesanos. E assim aconteceu, que no dia 10 de outubro de 1997, numa missa do dia dos Pais, Dom Pedro visitava a escola Epheta e apresentava o seminarista Ricardo que iria ajudar os surdos. De fato, em 1999 tiverem sua primeira missa com Língua de Sinais. A partir deste dia, ele começou a sentir vontade de também ajudar os surdos. Padre Ricardo fundou a Pastoral dos Surdos em Curitiba e ele pode acompanhá-lo juntamente com a coordenadora surda Elizanete Fávaro, nas missões em Paranaguá. Lá conheceu a triste realidade de surdos sem família, sem estudo, sem recursos, fazendo a primeira comunhão. Foi nesse dia que sentiu que Deus o chamava para um trabalho mais profundo, com os surdos. Perguntou se poderia entrar no seminário, e daí em diante começou o seu processo de discernimento, durante o ano de 1999.
Em 2000, iniciou os estudos de Filosofia e até hoje é muito grato ao Padre Chemin que compreendeu sua dificuldade de adaptação.


No ano de 2001, Padre Chemin aceitou que ele pudesse acompanhar o Padre Ricardo, devido sua facilidade na comunicação com os surdos. Diante disso, ficou como aluno externo morando na Catedral e estudando todos os dias na FAF.


No ano de 2002, iniciou os estudos de Teologia com o Padre André, no Seminário Maior Rainha dos Apóstolos. Durante o processo de formação, passou por muitas dificuldades por causa da surdez, mas em nenhum momento, os formadores o abandonaram, pelo contrário, sempre o apoiaram e o animaram para continuar o discernimento.


Em 10 de junho de 2006 já foi ordenado Diácono na Paróquia Nossa Senhora da Anunciação e terminou seus estudos de teologia, após ter realizado a prova De Universa, que era oral e com a presença de um representante de Roma, da Universidade Lateranense. Sua ordenação sacerdotal aconteceu no dia 26 de novembro, na Igreja São Francisco de Paula com a presença de surdos do Brasil.


Um ano depois da ordenação sacerdotal, o Arcebispo Dom Moacyr José Vitti lhe confiou a Paróquia Nossa Senhora da Ternura para pessoas com deficiência, tendo tomado posse como Pároco, no dia 02 de dezembro de 2007.
Hoje, ele tem oportunidade de crescer cada dia como mais pessoa, superando as barreiras físicas e tentando-se adaptar ao mundo dos ouvintes.

Esta é sua mensagem:

“Graças aos formadores, à Pastoral dos Surdos, à Psicóloga, à Fonoaudióloga, aos meus pais e aos meus amigos, posso dizer que o milagre de Jesus: “Epheta” (abre-te) já aconteceu na minha vida, porque sou um surdo feliz, com coração ouvinte.

Deus me ajude a caminhar sempre adiante na minha vocação.



Pe. Wilson Czaia”

Fonte: http://senhoradaternura.blogspot.com