19 de fevereiro de 2011

Significado do cartaz da CF 2011


Este é o significado do cartaz da Campanha da Fraternidade deste ano que fala que ainda há esperança para mudarmos está situação do nosso meio ambiente que o ser humano mesmo provocou e que se continuar pode piorar.

O cartaz possui dois planos. Ao fundo observa-se uma fábrica que solta fumaça, poluindo e degradando o ambiente, deixando o céu plúmbeo, intoxicado e acinzentado.

A figura do rio com a água escurecida e suja representa também a parte natural sendo devastada, influenciando no aparecimento das enchentes e no aumento do nível do mar, ações provocadas pelo ato errado do homem.

Em contraste a isso, vemos em primeiro plano uma mureta, onde em meio á devastação ainda existe vida. Nela, um pequeno broto e um cipreste (hera), com suas raízes incrustadas, criando um microecossistema, ainda insistem em viver mesmo diante de um cenário áspero. Sendo, portanto referência ao lema: “A criação geme em dores de parto” (Rm 8,22).

Apesar de todo o sofrimento que a criação enfrenta ao longo dos tempos, de todos os seus “gritos de dor” – a vida rompe barreiras e nos mostra que ainda existe esperança, representada pela borboleta, quem mesmo com vida curta, cumpre o seu importante papel no ciclo natural do planeta.

A Campanha da Fraternidade terá início na Quarta-feira de Cinzas, 9 de março de 2011, e se estenderá por toda a Quaresma. Para tanto incentivo as todos os nossos católicos a tomar a sério o estudo dos textos e subsídios da Campanha da Fraternidade/2011, levando as reflexões e questionamentos a outros possíveis ambientes, até fora das nossas igrejas tais como: escolas, associações, profissionais, organismos de preservação do meio ambiente, meios de comunicação, vitrines de lojas, espalhando assim a reflexão deste tema tão pertinente. Procurem também reativar todos os grupos de reflexão, ou grupos de rua, levem essa reflexa para os seus grupos de base (casais, jovens, grupos de adolescentes, etc.) para refletirem o tema da CF/2011.


Dom Vilson Dias de Oliveira

Bispo Diocesano de Limeira