31 de março de 2012

Entenda o significado do Domingo de Ramos

O Domingo de Ramos marca o início da Semana Santa, que mistura os gritos de hosanas com os clamores da Paixão de Cristo. O povo acolheu Jesus agitando seus ramos de oliveiras e palmeiras. Os ramos significam a vitória: "Hosana ao Filho de Davi: bendito seja o que vem em nome do Senhor, o Rei de Israel; hosana nas alturas". Os ramos apresentados pelo povo nos remetem ao sacramento do batismo, por intermédio do qual nos tornamos filhos de Deus e responsáveis pela missão da nossa Igreja. E o ato de levarmos os ramos para casa nos lembra que estamos unidos a Cristo na luta pela salvação do mundo.

A Procissão de Ramos tem como objetivo apresentar a peregrinação que cada cristão realiza sobre a Terra buscando a vida eterna ao lado do Senhor. Esse ato nos faz relembrar que somos peregrinos neste mundo e que o céu é o lugar de onde viemos e para onde devemos voltar.

Por fim, a Santa Missa do Domingo de Ramos traz a narrativa de São Lucas sobre a Paixão de Jesus: Sua angústia mortal no Horto das Oliveiras, o Sangue vertido com o suor, o beijo traiçoeiro de Judas, a prisão, os maus-tratos nas mãos dos soldados na casa de Anãs, Caifás; Seu julgamento iníquo diante de Pilatos, depois, diante de Herodes, Sua condenação, o povo a vociferar “crucifica-o, crucifica-o”; as bofetadas, as humilhações, o caminho percorrido até o Calvário, a ajuda do homem cirineu, o consolo das santas mulheres, o terrível madeiro da cruz, o diálogo d'Ele com o bom ladrão, Sua morte e sepultura.

O Mestre nos ensina com fatos e exemplos que o Seu Reino, de fato, não é deste mundo. Que Ele não veio para derrubar César e Pilatos, mas para derrubar um inimigo muito pior e invisível, o pecado. E para isso é preciso se imolar; aceitar a Paixão, passar pela morte para destruí-la; perder a vida para ganhá-la.

Professor Felipe Aquino - Canção Nova

Domingo de Ramos: dia da Coleta Nacional da Solidariedade

No próximo domingo, dia 1º de abril, dioceses, paróquias e comunidades de todo país celebrarão o Domingo de Ramos, dia em que cristãos e cristãs fazem memória a entrada de Jesus em Jerusalém. É nesta data que a Igreja realiza a Coleta Nacional da Solidariedade, gesto concreto da Campanha da Fraternidade, em que todas as doações financeiras realizadas pelos fiéis farão parte dos Fundos Nacional e Diocesanos de Solidariedade.
Voltado para o apoio a projetos sociais, os fundos são compostos da seguinte maneira: 60% do total da coleta permanecem na diocese de origem e compõe o Fundo Diocesano de Solidariedade e 40% são destinados para o Fundo Nacional de Solidariedade.
O resultado integral da coleta da Campanha da Fraternidade de todas as celebrações do Domingo de Ramos será encaminhado à respectiva diocese.
Em 2011, somente o Fundo Nacional de Solidariedade (FNS) apoiou 320 projetos sociais em todo Brasil. Confira a retrospectiva.
Em 2012, com o tema “Fraternidade e Saúde Pública”, a Campanha da Fraternidade (CF) reflete junto aos seus fiéis temas como a atual situação do Sistema Único de Saúde (SUS). De acordo com o texto base da CF 2012, dados do IBGE mostram que enquanto os mais ricos usam a maior parte de seu orçamento com saúde no pagamento de planos privados, os mais pobres têm os remédios como item de maior consumo de seus gastos com saúde.
Participe da Coleta Nacional da Solidariedade e contribua para a promoção e o apoio a projetos sociais de todo país.
Fonte : http://www.cnbbsul1.org.br/index.php?link=news/read.php&id=6704


6 de março de 2012

Confissões 2012 - LIMEIRA




28.FEVEREIRO - Terça-feira
A:: Quase - Paróquia Nossa Senhora de Fátima – Jd. Senador Vergueiro
B::  Quase- Paróquia Imaculado Coração de Maria – Vila Piza

29.FEVEREIRO – Quarta-feira
A:: Paróquia São Benedito
B:: Paróquia Santa Isabel

01.MARÇO – Quinta-feira
A:: Paróquia Nossa Senhora Aparecida
B:: Paróquia Sagrada Família

06.MARÇO – Terça-feira
A:: Quase-Paróquia São Marcos – Jd. Aeroporto
B::  Quase- Paróquia Nossa Senhora do Rosário – Campo Belo

07.MARÇO – Quarta-feira
A e B:: Paróquia Menino Jesus

08.MARÇO – Quinta-feira
A e B:: Paróquia São Paulo Apóstolo

13.MARÇO – Terça-feira
A:: Paróquia Santa Rita
B:: Paróquia Nossa Senhora de Lourdes

14.MARÇO – Quarta-feira
A:: Paróquia São José – Vila Camargo
B:: Paróquia Santa Ana – Jd. Ouro Verde

15.MARÇO – Quinta-feira
A:: Paróquia Santa Luzia
B:: Paróquia São Sebastião

20.MARÇO – Terça-feira
A:: Cordeirópolis (Paróquia Santa Luzia)
B:: Cordeirópolis (Paróquia Santo Antonio)

21.MARÇO – Quarta-feira
A e B:: Paróquia São Cristóvão

22.MARÇO – Quinta-feira
A e B:: Paróquia Jesus Cristo Bom Pastor

26.MARÇO – Segunda-feira
A:: Iracemápolis (Paróquia Jesus Crucificado)
B::Iracemápolis (Paróquia Nossa Senhora Aparecida)

27.MARÇO – Terça-feira
A e B:: Paróquia Santa Terezinha

28.MARÇO – Quarta-feira
A e B:: Paróquia Nossa Senhora das Dores - Catedral


Grupo A:: Pe. Arlindo | Pe. Amauri | Pe. Marcos Daniel | Pe. Vitor | Pe. Synval | Pe.Alquermes | Pe.Edson | Pe.Paulo Henrique | Pe.Jaime | Pe.Davi | Pe.Ismael | Pe. Olívio Reato | Pe. Gustavo | Pe.Gilson | Pe. Paulo Sérgio

Grupo B:: Pe. Júlio | Pe.Sebastião | Pe.Clayton | Pe. Alex | Pe. Márcio | Pe. Cássio | Pe. Israel | Pe. Miranda | Pe. Bryan | Pe. Alcides | Pe. Valdinei | Pe. Rossini |  Pe. Alexander Dezotti | Pe. Eduardo | Pe. Reginaldo Schivo

Fonte: Diocese de Limeira

"Jesus é lâmpada que nunca se apaga em nosso caminho"



O Papa Bento XVI, refletindo em torno do passagem evangélica da Transfiguración de Cristo, assegurou que “Também na noite mais obscura, Jesus é a lâmpada que não se apaga nunca”.
Em sua mensagem prévia à oração do Ângelus no Praça de São Pedro, o Santo Padre indicou que “Deus é luz, e Jesus quer dar aos seus amigos mais íntimos a experiência desta luz, que habita nele. Assim, logo depois deste evento, Ele será neles luz interior, capaz de protegê-los dos assaltos das trevas”.
“O mistério da transfiguração não é separado do contexto do caminho que Jesus está percorrendo. Ele se volta decididamente para o cumprimento da sua missão, mesmo sabendo que, para chegar à ressurreição, deverá passar através da paixão e morte de cruz”, explicou o Papa.
Bento XVI assinalou que, na montanha, Jesus revela a seus discípulos “sua glória divina, esplendor de verdade e de Amor”.
“Jesus quer que esta luz possa iluminar seus corações quando atravessará a total escuridão de sua paixão e morte, quando o escândalo da cruz será para eles insuportável”.
O Papa também destacou que “subimos com Jesus sobre o monte da oração e, contemplando a sua face repleta de amor e de verdade, deixemo-nos preencher interiormente da sua luz. Peçamos à Virgem Maria, nossa guia no caminho da fé, de ajudar-nos a viver esta experiência da Quaresma, encontrando todos os dias momentos para a oração silenciosa e para a escuta da Palavra de Deus”.