24 de dezembro de 2013

21 de dezembro de 2013

BOAS FESTAS!!!



Mensagem de Natal do Bispo Diocesano de Limeira



“A Palavra de Deus se encarnou e armou sua tenda entre nós” – o impensável aconteceu: Deus se faz gente como nós para revelar o amor que tem para conosco. Hoje os seres humanos são convidados a se alegrar, pois, no Filho, Deus assume radicalmente o humano. Jesus é o ponto de encontro da humanidade com Deus. Hoje começou a redenção do humano.
Em todos os Natais confirmamos que Deus está presente em nossas vidas, sempre que nos reunimos para comemorar o aniversário de Jesus. Renovemos nossa fé e podemos ver que o amor é o caminho para que haja PAZ em todo o mundo.
Que a imagem do nascimento de Jesus, que nasce em panos simples, esteja em nossas comunidades e lares. Que possamos acolher Jesus Cristo, e que este seja um natal de amor, de perdão e de solidariedade. Que não falte a participação da comunidade e a nossa presença na eucaristia. Que não falte o nosso abraço em Deus e nos irmãos mais pobres. Vivamos o geste da partilha, compartilhando com aqueles que mais precisam.
Um Feliz e Santo Natal e que 2014 seja um ano de muita prosperidade e paz a todos vocês e suas famílias.

Dom Vilson Dias de Oliveira, DC

Bispo Diocesano de Limeira



“Eis que a Virgem conceberá e dará à luz um Filho. Ele será chamado pelo nome de Emanuel (Deus conosco)” - Homilia – 4º Domingo do Advento


Leituras: Isaías 7, 10-14; Salmo 23 (24); Romanos 1, 1-7;
Mateus 1, 18-24 (José e Maria).
COR LITÚRGICA: ROXO.



Neste domingo, o último do Advento, chegando ao ponto alto de nossa espera, despontam para nós os lampejos de um novo amanhecer, anunciando a chegada do Sol da justiça, o Emanuel, o Deus conosco. Ele é a manifestação do segredo escondido em Deus, há séculos: a salvação, a vida plena e feliz para toda a humanidade.
A antífona de entrada, inspirada no Salmo 45,8, evoca a descida do orgulho celeste que faz brotar da terra, a salvação. É um vivo sinal do maravilhoso encontro do divino e do humano em Jesus de Nazaré que a liturgia de hoje evidencia.
O acendimento das quatro velas nos confirma a chegada plena da luz no seio bendito de Maria, grávida pelo Espírito Santo e na fiel obediência de José, o homem justo. Ambos, modelos do Advento, vivem ardente espera do Salvador em meio à obscuridade da fé e às ambigüidades e provas da frágil condição humana.
Mesmo na alucinação das compras natalinas, aturdidos pelos anúncios de um Natal esvaziado pelo consumismo e devotados ao ídolo mercantilista e tirano do dinheiro, a humanidade e todo o universo clamam esperançosos pelo Reino e se enternecem diante da simplicidade, da gratuidade, de relações verdadeiras, do serviço desinteressado do pequeno resto, da geração dos que buscam a Deus. Sinalizam a chegada do “Emanuel” e da força de seu Espírito, gerando, com autenticidade e sem muito barulho, um mundo novo.


Fonte: http://diocesedelimeira.org.br

14 de dezembro de 2013

“Alegre-se a terra que era deserta e intransitável, exulte a solidão e floresça como um lírio. Germine e exulte de alegria e louvores” - Homilia – 3º Domingo do Advento


Leituras: Isaías 35, 1-6a.10; Salmo 145 (146); Tiago 5, 7-10;
Mateus 11, 2-11 (Jesus fala sobre João Batista). 
COR LITÚRGICA: ROXO OU RÓSEO.



  
Ao aguardarmos a vinda de uma pessoa querida e identificando vários sinais que já confirmam sua chegada, a esperança brilha com maior força e o empenho de preparação para sua vinda se transforma em alegria. É o que experimentamos neste terceiro domingo do Advento, chamado de “domingo da alegria”, ou Gaudete. Somos tocados por alegre júbilo pela proximidade da vinda do Senhor, já na antífona de entrada: “Alegrai-vos sempre no Senhor. De novo eu vos digo: alegrai-vos! O Senhor está perto” (Cf. Fl 4, 4-5). Esta será a tônica motivadora de toda a celebração.

Aquele que esperamos, o Deus fiel que transforma o deserto em jardim, que exerce a justiça a favor dos pobres e oprimidos, se aproxima. E mais ainda, Ele já está entre nós e com ele preparamos o advento do seu Reino. Vida plena e feliz para todos, oprimidos libertados em festa, harmonia e solidariedade entre os povos, natureza preservada, são sonhos de salvação ainda esperados por nós e alimentados pela nossa fé.

Já próximos do Natal, na terceira semana de preparação, é tempo de redobrar nossa esperança e, contentes, irmãos ao encontro do Senhor que sempre vem. Nossas velas acesas, agora são três, em crescente brilho, anunciam a certeza de sua chegada. Cada celebração deve ser um ensaio e uma antecipação do Reino.


“Todas as pessoas verão a salvação de Deus” - Homilia – 2º Domingo do Advento


Leituras: Baruc 5, 1-9; Salmo 126 (125), 1-2ab.2cd-3.4-5.6 (R/3);
Carta de São Paulo aos Filipenses 1, 4-6.8-11; Lucas 3, 1-6. 
COR LITÚRGICA: ROXA




Quando vier pela segunda vez, o Senhor deverá nos encontrar preparados, razão pela qual temos de nos converter, tal como o Batista pregava junto ao rio Jordão.

Será necessário preparar o caminho do Senhor, endireitar suas veredas, aterrar os vales, rebaixar as montanhas e colinas, tornar retas as passagens tortuosas e aplainar os caminhos acidentados. A convocação é para uma mudança radical, conversão de verdade. Mudança de mentalidade e de atitudes profundas.

Se olharmos para a nossa realidade, percebemos tantos “caminhos” que precisam ser endireitados. O Senhor virá e toda a terra verá a salvação, os frutos da justiça irão florescer.

Ele nos dará o dom do discernimento para fazermos opções, de acordo com a proposta do seu Reino. Nesta celebração, renovamos nossa fé no Senhor que não nos abandona jamais.


1 de dezembro de 2013

“Vinde … Deixemo-nos guiar pela luz do Senhor” – 1º Domingo do Advento




Leituras: Isaías 2, 1-5; Salmo 121 (122); 
Carta de São Paulo aos Romanos 13, 11-14a.
COR LITÚRGICA: ROXA

Neste domingo, iniciamos mais um Ano Litúrgico. Reunindo desejos, sonhos e utopias da humanidade por profundas transformações e dias melhores, manifestadas em veementes clamores em nossos dias, iniciamos o tempo do Advento. Como “memorial da esperança”, o advento alarga nossa vida para acolher o grande mistério da encarnação.
Na perspectiva do Natal e Epifania do Senhor, como acontecimentos sempre novos e atuais, vislumbramos vigilantes e esperançosos, a lenta e paciente chegada de seu Reino e sua manifestação em nossa vida e na história. O Senhor nos garante que, nesta espera, não seremos desiludidos, como nos lembra a antífona de entrada deste domingo.
A liturgia abre para nós um tempo favorável  de vigilância e conversão, de retomada de nossas opções como discípulos daquele que sempre vem e cuja ação é libertadora, consoladora  e salvífica.
Acendendo, neste domingo, a primeira vela da coroa do Advento, somos convidados a aguçar nossa atenção, acordarmos do sono da passividade para melhor percebermos os sinais da chegada do Reino no cotidiano e, mais despertos, nos levantarmos da acomodação, do individualismo e do consumismo que marcam nosso tempo e nos paralisam.
Por isso, pedimos, na oração inicial, que o Pai nos conceda ardente desejo de buscar o Reino e com nossas boas obras, acorrermos ao encontro do Senhor, cuja vinda nos alegra e salva como cantamos no salmo.


Fonte: http://diocesedelimeira.org.br

Advento





2 de outubro de 2013

Celebração do Dia de Santa Teresinha

 Santa Terezinha a Padroeira das Missões foi celebrada com muita 
devoção e fé  pelo nosso Bispo Diocesano
 Dom Vilson, Padre Israel e Padre Arlindo.












Eliana, Adriana, Eduardo, Jaqueline, Patrícia, Marilza, Francisco, Rita, Alexandre, Dom Vilson e Pe. Arlindo.


Ó Santa Teresinha, sois exemplo de simplicidade e de humildade e sempre vos colocastes nas mãos do Pai.
Intercedei junto a Deus para que os homens compreendam o vosso caminho, que leva ao Céu, para que vencendo o egoísmo e o orgulho, possam construir um mundo melhor e conquistem os povos para o Reino de Cristo pelo amor, justiça e paz.
Fazei com que os homens compreendam a mensagem do Evangelho e sejam atraídos a viverem o ideal cristão do amor pelo espírito de desapego e doação.
Santa Teresinha do Menino Jesus, padroeira das missões, rogai por nós e protegei os missionários.

Amém.

29 de setembro de 2013

Dia 01 de Outubro, dia dedicado em Honra a Santa Terezinha

Participem conosco da Festa de Santa Teresinha.

Missa Solene presidida por nosso Bispo Diocesano 
Dom Vilson Dias de Oliveira as 19:30hs. 




"FAREI CAIR UMA CHUVA DE ROSAS"



Grandes conquistas na Igreja Católica - Pastoral dos Surdos e Cegos comemora Dia dos Surdos



No dia 26 de setembro, no Brasil, celebra-se o Dia Nacional do Surdo. Este dia foi escolhido devido ao fato desta data lembrar a inauguração da primeira escola para Surdos no país, em 1857, com o nome de Instituto Nacional de Surdos-Mudos do Rio de Janeiro, atual INES – Instituto Nacional de Educação de Surdos, situado no bairro de Laranjeiras, Zona Sul do Rio.

Após décadas de vivências sociais, encontros e desencontros, lutas e reivindicações políticas e  eclesiais, o surdo se depara ainda com uma longa jornada pela frente: “há muito por lutar, mas certamente há muito para celebrar, como as conquistas nos espaços das igrejas e os direitos nas escolas e nas universidades”, diz em a nota a coordenação nacional dos surdos e dos intérpretes católicos.

No Brasil, segundo dados do IBGE, existem cerca de 5,7 milhões de pessoas com perda auditiva.

Tendo em vista a inclusão dos surdos e a necessidade de comunicação dentro da Igreja, a Pastoral dos Surdos começou a se formar no início dos anos de 1950, com uma parceria entre padre Eugênio Oates, religioso norte-americano e Monsenhor Vicente Penido Burnier, primeiro sacerdote surdo do Brasil e segundo do mundo.

Em Limeira, a Pastoral dos Surdos e Cegos da Paróquia Santa Terezinha do Menino Jesus comemorou, no último domingo, 22, o Dia Nacional do Surdo com uma Celebração Eucarística.

Segundo Maria Rita Cabral,  Coordenadora da Pastoral de Surdos e Cegos  da paróquia, a celebração aconteceu num clima de muita alegria. Desde 2006, a pastoral desenvolve um trabalho de inclusão com a comunidade surda, com apoio do Pe. Arlindo De Gaspari e atualmente com o apoio do Pe. Israel. ” A inclusão  possibilita aos surdos um espaço dentro da Igreja católica e que, através dos seus intérpretes, anuncia Jesus. O intérprete tem como  missão  sinalizar o evangelho na Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS e através de suas mãos ser sinal de Deus para os surdos”, explicou.

Na paróquia Santa Terezinha do Menino Jesus, o grupo se reúne semanalmente aos domingos, às 9h, para a celebração da santa missa.

A Pastoral dos Surdos atualmente está presente em todas as regiões do País e vem trabalhando intensamente, promovendo iniciativas na inclusão da pessoa surda. Os surdos têm a oportunidade de conhecer, celebrar e testemunhar Jesus Cristo na sociedade de hoje.

Para Maria Rita, a Pastoral dos Surdos e Cegos da Paróquia Santa Terezinha quer que “o surdo se sinta Igreja, membro de uma família que professa a mesma fé em Jesus Cristo, Caminho, Verdade e Vida”.

A coordenadora da Pastoral dos Surdo e Cegos destacou que a pastoral está de portas abertas para os surdos, aliás não só para eles , mas também para seus familiares e amigos, “buscando uma verdadeira inclusão dentro da Igreja , e ao mesmo tempo superando preconceitos e respeitando as diferenças de cada pessoa”.

“Nossos cumprimentos aos surdos, homens e mulheres que constroem a sua história e a história do Brasil com garra, determinação e fé.

Que Santa Terezinha abençoe todas as ações de Pastoral e as mãos de nossos irmãos e irmãs que contribuem na construção do Reino de Deus”.      Maria Rita Cabral - Coordenadora da Pastoral de Surdos e Cegos  da Paróquia de Santa Terezinha de Limeira.

Fonte: http://diocesedelimeira3.hospedagemdesites.ws/categoria/noticias/

23 de setembro de 2013

3 de julho de 2013

Encontro das Pastorais de Paulínia, Araras, Hortolândia e Limeira

PROJETO PASTOREIO EM LIMEIRA


Padre Israel com as Pastorais de Paulínia, Araras, 
Hortolândia e Limeira


Missa do Projeto Pastoreio 
na Paróquia Santa Terezinha de Limeira


Palestra e Dinâmica: " ANO DA FÉ "
Profª. Bete Bernardi - Coordenadora Pastoral dos Surdos Regional Sul 1


Almoço muito gostoso com surdos e ouvintes


Padre Israel, Seminarista Luis Casimiro e Anderson


 Momento de oração das Pastorais com Dom Vilson 


Mensagem de Dom Vilson aos surdos e ouvintes com 
a Intérprete de Libras Vilma 


A comunidade surda agradece sua presença Dom Vilson!!!!


                             Dom Vilson - Bispo Diocesano  


Palestra e Dinâmica - " Ano da Fé " com Vilma


Momento de Reflexão: Como está sua Fé?


Coordenadoras das Pastorais : Vilma (Guarujá) , 
Rita (Santa Terezinha) ,Tania (Sagrada Família) 
Gislaine (Araras) 

9 de maio de 2013

Surdos incluidos na Paróquia Santa Terezinha de Limeira

Seminarista Luís Casimiro e a importância da Libras



No ano de 2007 desenvolvi meu estágio pastoral aqui na paróquia de Santa Teresinha. Uma das atividades que desenvolvi foi o acompanhamento com a pastoral dos surdos que há na paróquia. Este ano estou retornando para desenvolver meu estágio pastoral novamente na referida paróquia. Quando aqui cheguei, no primeiro final de semana, me deparei com uma situação que causou alegria em poder ajudar. Acontece que nunca na paróquia Santa Teresinha havia usado o “evangeliário”, que é um livro que contém os Evangelhos proclamados na missa aos domingos. Enfim, nesse final de semana que cheguei à comunidade, o padre Israel introduziu nas celebrações dominicais o referido evangeliário para dar mais dignidade à Palavra de Deus, pois é o próprio Deus que nos fala. Acontece que os surdos não sabiam o porque lá estava aquele livro grande e queriam saber o porquê o padre estava com aquele novo livro. Foi onde percebi que deveria explicar o livro. Lá mesmo do altar eu dei uma explicação breve do que seria o livro que usava o padre e no final da celebração eucarística fui até os surdos para explicar de qual era a importância daquele livro na celebração.





Outro fato que me marcou e deixou meu coração cheio de alegria, foi quando na sexta-feira santa, na via-sacra, o casal Adriana e Eduardo, ambos surdos, estavam acompanhando a multidão que lá estava e provavelmente nada entendiam, pois não havia ninguém para traduzir o que acontecia. Aquela situação me cortou o coração de ver a fé daquele casal em participar das atividades da semana santa, mesmo sem saber o que ali ocorria, foi onde percebi que o curso de Libras que fiz há seis anos atrás ainda valia. Por meu espanto, consegui lembrar de vários sinais e consegui situar o casal na liturgia que ali estávamos celebrando. Para mim foi muito importante esta experiência, uma vez que  proporcionei a inclusão do casal na celebração que acontecia. 





Seminarista Luís Casimiro
Paróquia Santa Terezinha de Limeira
Diocese de Limeira

21 de abril de 2013