19 de janeiro de 2014

Campanha da Fraternidade 2014: “Fraternidade e Tráfico Humano”



Entenda o significado do cartaz:


1-O cartaz da Campanha da Fraternidade quer refletir a crueldade do tráfico humano. As mãos acorrentadas e estendidas simbolizam a situação de dominação e exploração dos irmãos e irmãs traficados e o seu sentimento de impotência perante os traficantes. A mão que sustenta as correntes representa a força coercitiva do tráfico, que explora vítimas que estão distantes de sua terra, de sua família e de sua gente.
2-Essa situação rompe com o projeto de vida na liberdade e na paz e viola a dignidade e os direitos do ser humano, criado à imagem e semelhança de Deus. A sombra na parte superior do cartaz expressa as violações do tráfico humano, que ferem a fraternidade e a solidariedade, que empobrecem e desumanizam a sociedade.
3-As correntes rompidas e envoltas em luz revigoram a vida sofrida das pessoas dominadas por esse crime e apontam para a esperança de libertação do tráfico humano. Essa esperança se nutre da entrega total de Jesus Cristo na cruz para vencer as situações de morte e conceder a liberdade a todos. “É para a liberdade que Cristo nos libertou” (Gl 5, 1), especialmente os que sofrem com injustiças, como as presentes nas modalidades do tráfico humano, representadas pelas mãos na parte inferior.
4-A maioria das pessoas traficadas é pobre ou está em situação de grande vulnerabilidade. As redes criminosas do tráfico valem-se dessa condição, que facilita o aliciamento com enganosas promessas de vida mais digna. Uma vez nas mãos dos traficantes, mulheres, homens e crianças, adolescentes e jovens são explorados em atividades contra a própria vontade e por meios violentos. (Fonte: CF 2014).
Fonte: http://diocesedelimeira.org.br


17 de janeiro de 2014

Parábola "O Semeador" em Língua de Sinais Brasileira

Pastoral dos Surdos elege nova coordenação para o Brasil



O tema “Fé – dom e serviço na Igreja e para a sociedade” motivou as atividades do 16º Encontro Nacional da Pastoral dos Surdos (ENAPAS) e o 6º Encontro Nacional dos Intérpretes Católicos (ENCICAT). Os eventos foram realizados de 7 a 11 de janeiro, na arquidiocese de Porto Alegre (RS).

 Na ocasião, foi eleita a nova equipe que coordenará as comunidades de 2014 a 2016, a partir de uma reestruturação nacional. O bispo de Apucarana e referencial da Pastoral dos Surdos, dom Celso Antonio Marchiori, acompanhou os trabalhos do encontro. No Brasil, as comunidades dos surdos estão presentes em 15 regionais. A abertura contou com a presença do arcebispo de Porto Alegre (RS), dom Jaime Splengler e do secretário executivo do Regional Sul 3, padre Agostinho Sauthier.

Na missa de encerramento foram instituídos os novos membros da coordenação nacional, são eles: bispo referencial, dom Celso Antonio Marchiori; assessor, Cesar Bacchim – Rio de Janeiro (RJ); coordenadora Nacional da Pastoral dos Surdos, Ana Paula Gomes Lara – Porto Alegre (RS); vice coordenadora, Darlene Nunes – São Paulo (SP); assessor eclesiástico da Pastoral, padre Cleyton Garcia - Anápolis (GO); coordenador nacional dos Intérpretes Católicos, Marcelo Santana - Belo Horizonte (MG); vice coordenadora, Cássia Sousa – Brasília (DF); assessor eclesiástico dos Intérpretes, padre Agnaldo Carmo – Belo Horizonte (MG); secretário executivo, Jurandir Junior - Olinda (PE); 2º secretário, Álvaro da Silva Ferreira – Caruaru (PE).

Ao final, foi divulgado que  a sede do próximo encontro nacional será em Belo Horizonte, de 12 a 16 de janeiro de 2016.


Fonte: http://www.cnbb.org.br

2 de janeiro de 2014

Encontro promoverá caminhada eclesial da Pastoral dos Surdos no Brasil




De 7 a 11 de janeiro, a arquidiocese de Porto Alegre (RS) sediará o 16º Encontro Nacional da Pastoral dos Surdos (Enapas) e o 6º Encontro Nacional dos Intérpretes Católicos (Encicat). Os eventos terão os objetivos de solidificar e promover a caminhada eclesial da Pastoral dos Surdos no Brasil, a partir da participação de delegações de todos os Regionais.

Terão como tema “Fé - dom e serviço na Igreja e para a sociedade” e lema “A fé sem obras é morta”. Estarão presentes o bispo de Apucarana (PR), dom Celso Antônio Marchiori, e o coordenador nacional da Pastoral dos Surdos, professor José Carlos.

Segundo o assessor da Pastoral dos Surdos do Regional Centro-Oeste, padre Cleyton Francisco Garcia, a Pastoral “envolve atos concretos de amor, dedicação, abnegação e promoção da pessoa humana desde sua dimensão religiosa até mesmo sua dimensão social ao falarmos, por exemplo, da correta inclusão. Ainda, a Pastoral dos Surdos não atende apenas o indivíduo surdo, mas abre-se à toda sua família”, explicou.

De acordo com os organizadores, será a primeira vez que a coordenação nacional estará reunida com as coordenações regionais, o que propiciará a troca de experiências entre surdos e ouvintes. Além disso, na ocasião, haverá a eleição da nova coordenação nacional da Pastoral.


Informações no site: www.effata.org.br

Natal 2013